APagri alerta sobre cuidados no agro durante pandemia

Neste momento em que a humanidade enfrenta uma pandemia, a APagri Soluções Agronômicas vem reforçar seu respeito aos colaboradores e produtores agrícolas, mantendo todos os cuidados necessários e sabidos até agora para colaborar com a diminuição da curva pandêmica da Covid-19 em todas as suas regionais, espalhadas por 12 Estados brasileiros.

Há 18 anos atuando intimamente com a terra, lugar de desenvolvimento, força e alimento para todos os povos, a APagri entende que o momento é de precaução e, por isso, suas equipes têm se mantido em home office dentro das possibilidades cabíveis à execução do melhor trabalho. Na extrema necessidade de consultores irem a campo, a empresa orienta seus colaboradores a intensificar os cuidados para a manutenção da saúde individual, da família e dos parceiros de negócios.

Sérgio Goes, CEO da APagri, destaca a preocupação da empresa com os consultores que ocupam muito de seu tempo na estrada e precisam estar integralmente saudáveis, além dos clientes, que os atendem presencialmente para a execução dos trabalhos em campo.

“É comum imaginar que as pessoas no campo estão mais protegidas contra o coronavírus por conta do isolamento em relação à população urbana, mas todo cuidado é pouco diante de uma pandemia sem solução permanente”, afirma Goes. “Os produtores permanecem trabalhando para abastecer toda a população e precisam estar protegidos, bem como nossos colaboradores.”

Goes filmou parte de sua rotina de trabalho, com orientações sobre as principais precauções que os colaboradores devem ter, mostrando seus cuidados pessoais no dia a dia. “A APagri é feita de gente apaixonada pela produção agrícola e, para que essa atuação permaneça forte e com qualidade, é preciso que todos estejam bem.”

Leia também: Negócios em tempos de pandemia no Agro: oportunidade, empatia e troca de experiências

 É o caso do assistente técnico comercial Francisco Weliton Pereira da Silva, 32, maranhense de Bacabal, que atua na Regional MAPATOPI (Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí). No momento, ele dá preferência às reuniões por videoconferência ou ligações telefônicas, quando é possível orientar por esses meios. Para as visitas presenciais fundamentais, caso do mapeamento de áreas, Francisco não abre mão do uso de máscara, luvas e álcool em gel para higienizar todos os objetos que exijam toque.

“Temos clientes bem rigorosos na cobrança de preventivos, como lavar as mãos, uso de luvas, máscara e álcool, manter o mínimo de contato físico. No campo, o aperto de mão, sinal de boas-vindas, foi substituído no máximo pelo toque de cotovelos”, contou o colaborador da APagri. “Os produtores estão familiarizados com o digital, o celular é uma ferramenta que todos usam e todas as fazendas têm internet, o que privilegia o suporte online quando possível.”

Em Rondon do Pará (PA), Bruno Venturini, 35, produtor de soja e milho, permanece apenas em sua fazenda, onde mantém e exige de todos os cuidados básicos – máscara, luvas e álcool em gel -, controlando ao máximo a recepção a pessoas de fora.

Com a pandemia, Venturini manteve no trabalho poucos funcionários para a finalização da colheita; os demais, identificados como grupo de risco, foram liberados para ficar em casa. “Nenhum funcionário ficou doente, por conta das medidas que estamos tomando para prevenção. Só recebemos de fora os consultores e vendedores de insumos, algo bem restrito mesmo”, destacou. 

Produtores precisam manter cuidados básicos

O novo coronavírus é transmitido por meio de gotículas de saliva, espirros, tosse, contato pessoal próximo, com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de toque na boca, nariz ou olhos.

É fundamental no dia a dia usar máscara, luvas, manter cabelos presos, lavar e higienizar as mãos com frequência; cobrir o rosto com o antebraço ao tossir ou espirrar ou usar lenço descartável; não tocar olhos, boca e nariz com as mãos sujas; evitar aglomerações e contato físico e manter no mínimo 1,5 m de distância das pessoas; não compartilhar objetos de uso de rotina, como celulares; ficar em casa quando possível.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo lançou uma cartilha de orientação e boas práticas contra o Covid-19, disponível pelo acesso ao site do órgão. O manual orienta que, nas propriedades e comunidades rurais, as medidas de proteção devem atingir gestores e funcionários, sem distinção.

Pessoas com sintomas (febre, dor de garganta, tosse e falta de ar), mesmo sem a confirmação da doença, devem ser afastadas imediatamente, bem como as com mais de 60 anos de idade e problemas pré-existentes; o acesso às propriedades deve ser limitado aos trabalhadores e, se necessário receber visitas, manter ao máximo os cuidados preventivos.

Os proprietários podem instalar locais para lavagem e higienização das mãos próximos aos setores de movimentação; disponibilizar álcool a 70% e o utilizá-lo também para higienizar objetos comuns, como telefones, computadores, maçanetas, enxadas, volantes de veículos; fique atento a sinais de estresse de seus colaboradores e incentive o apoio social.

Compartilhar:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

10 perguntas sobre solo

A Embrapa Solos selecionou 200 dúvidas comuns sobre solo e as reuniu em uma única publicação: Solo para todos: perguntas e respostas, de 2014. A

Leia Mais

Sergio Luís Góes

Unidade
Goiás – Agronômico Sérgio
Área atendida em hectares: 47099,3

Nelson Dall'Acqua

Unidade

Goiás – Agronômico Nelson

Área atendida em hectares: 47099,3

Luís Fernando Magron Zanuncio

Engenheiro Agrônomo especializado em Agricultura de Precisão, consultor agronômico há 17 anos
Engenheiro Agrônomo pela Esalq/ USP (2004), especializado em Agricultura de Precisão, área em que atua como consultor agronômico há 17 anos, com foco em produção de grãos e fornecedores de cana-de-açúcar na região de Assis/SP, além de gestor agronômico no Estado do Mato Grosso, com trabalhos desenvolvidos nos Estados de GO, MA, RO, MG, MS, PR e no Paraguai. Possui conhecimento técnico sobre propriedades rurais norte-americanas usuárias de Agricultura de Precisão, usina de cana-de-açúcar na Flórida (US Sugar Corporation) e CASE Máquinas Agrícolas. Conta com participações em feiras agropecuária, como a Farm Progress Show (Estados Unidos), simpósios nacionais de cultura do milho, feijão irrigado, soja, cana-de-açúcar, plantio direto e integração de lavoura pecuária. Palestrante em eventos agronômicos, universitários, de colégios técnicos e treinamentos em empresas agrícolas.

Tiago Cappello Garzella

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Ciências/Irrigação e Drenagem, especialista em P&D
Doutor em Ciências pela USP (2011), com ênfase na área de concentração de irrigação e drenagem, e engenheiro agrônomo pela Esalq/USP (2004), tendo recebido duas menções honrosas em trabalhos científicos e o prêmio Sotreq, por Melhor Desempenho na área de Engenharia. Ao longo de sua vida acadêmica e profissional, desenvolveu atividades relacionadas à Agricultura de Precisão, Geoestatística, Eletrônica e Automação, também com formação técnica em eletroeletrônica, laureado com o prêmio Engenheiro Roberto Mange de Melhor Desempenho (1997). Atuou na Robert Bosch (1996 – 2000) e é diretor de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) da APagri Soluções Agronômicas. Participação em eventos internacionais, nos Estados Unidos e Espanha.

Godofredo César Vitti

Professor Sênior em Adubos, Adubação e Fertilidade do Solo/ USP
Professor Sênior em Adubos, Adubação e Fertilidade do Solo; aulas na disciplina Adubos e Adubação em graduação e pós-graduação na ESALQ/USP; Especialização e MBA. Sócio-proprietário da Vittagro Engenharia, especializada em consultoria, treinamento e projetos técnico-científicos nas áreas de fertilidade e manejo de solos, práticas corretivas (calagem, gessagem e fosfatagem), práticas conservacionistas (plantas de cobertura, rotação de culturas), fertilizantes minerais, orgânicos, compostagem, adubação e nutrição de plantas. Projetos de pesquisa e assessoria na área de plantio direto na cultura de grãos, cana-de-açúcar, pastagem, café, citros e algodão. Publicou 15 livros em nutrição vegetal, fertilizantes e fertilidade do solo; 27 capítulos de livros; boletins técnicos e participação em mais de 200 eventos de capacitação; palestras no Brasil e exterior (África do Sul, Marrocos, Estados Unidos, Noruega, Bolívia, Uruguai, Argentina, Equador, França, Peru, Chile, Espanha, México, Belize, República Dominicana, China, Turquia, Austrália, Costa Rica, Guatemala, Angola, Canadá, entre outros países). Coordenador nacional e internacional há 30 anos do Programa de Análises de Tecido Vegetal e fundador do Grupo de Apoio à Pesquisa e Extensão (GAPE). Medalha Fernando Costa na modalidade Ensino (2018).

José Paulo Molin

Professor e Coordenador do Laboratório de Agricultura de Precisão/USP e pesquisador CNPq
Engenheiro Agrícola pela Universidade Federal de Pelotas (RS, 1983), com mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (SP, 1991) e PhD em Engenharia Agrícola pela University of Nebraska (EUA, 1996). É professor da Universidade de São Paulo (USP), no Departamento de Engenharia de Biossistemas da ESALQ (Piracicaba-SP), desde 1989, onde coordena o Laboratório de Agricultura de Precisão e é pesquisador do CNPq. Atua na interface entre a área de Máquinas Agrícolas e a Agricultura de Precisão, especialmente com sensores de solo e de plantas, variabilidade espacial, mapeamento da produtividade e aplicação localizada de insumos. Coordenou o Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão, de sua criação (2004 a 2018); presidiu a Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento desde sua criação (2012 a 2016) e foi presidente da Associação Brasileira de Agricultura de Precisão (AsBraAP), da fundação até 2020.

Nelson Dall’Acqua

Mestre em Produção Vegetal/ Manejo de Solos, consultor técnico em Agricultura de Precisão
Engenheiro agrônomo pela Esalq/USP (1985), é mestre em Produção Vegetal na área de concentração Manejo de Solos pela Universidade de Rio Verde/GO (2008). Especializações em Administração Rural; Sistemas Pressurizados de Irrigação; Tecnologia de Produção da Cultura da Soja; Plantio Direto; e Manejo de Solo. Consultor técnico da APagri Soluções Agronômicas há 15 anos, já atuou na Lacon Engenharia, em processos de implantação de tecnologia de integração agricultura-pecuária, com plantio de soja para recuperação de pastagens em Goiás, milho e sorgo para produção de grãos e silagem, administração de seringal e implantação de usina de beneficiamento de borracha, além de introdução ao sistema de monitoramento e manejo de pragas na cultura da seringueira. Foi gerente agrícola na Construtora Massafera, para administração e implantação das culturas de seringueira e eucalipto; e na Serrana de Mineração, para a implantação e administração de fazenda modelo e experimental de horticultura, fruticultura, bovinocultura de leite e reflorestamento de eucalipto.

Jonas Canesin Gomes

Agrônomo, consultor técnico, com especialização em Manejo de Solos e Inglês para Negócios
Engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Viçosa-MG (2013), com especialização em Inglês para Negócios/ Business English (2019) pela University of La Verne – La Verne/CA – USA, e especialização agronômica com ênfase em Manejo de Solos pela Esalq/ USP (2017). Atuou no mercado de fertilizantes sólidos e líquidos, com foco na nutrição de culturas como soja e milho, hortifruti e florestas. É consultor técnico da APagri Soluções Agronômicas, com ênfase em Agricultura de Precisão e consultoria na Fertilidade de Solos, atendendo nos Estados do Maranhão, Piauí, Tocantins, Goiás, Pará e Bahia, com abertura de mercados regionais e prospecção de clientes da negociação à supervisão de serviços técnicos. Atuou também na Timac Agro do Brasil, IAC (Instituto Agronômico de Campinas), Cocapec (Cooperativa de Cafeicultores da Alta Mogiana) e Grupo Perene Consultorias Agrícolas.

Sergio Luís Góes

Unidades
Colômbia – Agronômico Medelin
Colômbia – Puerto Gaitán
Área atendida em hectares: 26668,8

Sergio Luís Góes

Unidade
Bahia – Agronômico Sérgio
Área atendida em hectares: 111042,7

Jonas Canesin

Unidades
Bahia – Agronômico Jonas
Área atendida em hectares: 111042,7

Sergio Luís Góes

Unidade
Distrito Federal – Agronômico Sérgio
Área atendida em hectares: 111042,7

Jonas Canesin

Unidades
Distrito Federal – Agronômico Jonas
Área atendida em hectares: 111042,7

Mauro Wontroba

Unidade
Maranhão – Agronômico Balsas
Área atendida em hectares: 34107,9

Francisco Weliton

Unidade
Maranhão – Agronômico Pará
Área atendida em hectares: 34107,9

Mauro Wontroba

Unidade
Piauí – Agronômico Balsas
Área atendida em hectares: 30765,3

Francisco Weliton

Unidade
Piauí – Agronômico Pará
Área atendida em hectares: 30765,3

Mauro Wontroba

Unidade

Tocantins – Agronômico Balsas

Área atendida em hectares: 30765,3

Francisco Weliton

Unidade
Tocantins – Agronômico Pará
Área atendida em hectares: 34107,9

Mauro Wontroba

Unidade

Pará – Agronômico Balsas

Área atendida em hectares: 30765,3

Francisco Weliton

Unidade
Pará – Agronômico Pará
Área atendida em hectares: 34107,9

Rogerio Macedo

Unidade
Minas Gerais – Agronômico Frutal
Área atendida em hectares: 11435,2

Norwaldo Mello

Unidades
Minas Gerais – Agronômico Uberaba
Área atendida em hectares: 11435,2

Davi Besson

Unidade
Mato Grosso – Agronômico Médio Norte
Área atendida em hectares: 8633,9

Tiago de Oliveira

Unidade
Mato Grosso – Agronômico Parecis
Área atendida em hectares: 8633,9

Rodrigo Righeto

Unidade
Mato Grosso – Agronômico Primavera do Leste
Área atendida em hectares: 8633,9

Davi Besson

Unidade
Mato Grosso – Agronômico Vale do Araguaia
Área atendida em hectares: 8633,9

Luís Fernando Magron Zanuncio

Unidade
São Paulo – Agronômico Assis
Área atendida em hectares: 2613,0

Luís Fernando Magron Zanuncio

Unidade
Paraná – Agronômico Assis
Área atendida em hectares: 2613,0

Luís Fernando Magron Zanuncio

Unidade
Mato Grosso do Sul – Agronômico Assis
Área atendida em hectares: 2613,0

Sergio Luís Góes

Consultor técnico com foco em estratégias de Sistemas de Produção, Fertilidade do Solo e Agricultura de Precisão
Engenheiro agrônomo pela Esalq/USP (1993), com MBA em Gestão Empresarial FIA/USP/(2001) e especialização em Manejo do Solo ESALQ /USP(2004), é considerado referência profissional em adubação e correção no Cerrado para as culturas de soja, milho, feijão e algodão. Consultor técnico com foco em estratégias de Sistemas de Produção, Fertilidade do Solo e Agricultura de Precisão, voltado a orientar o produtor para otimização do potencial produtivo com essência em maximização de margem de lucro e minimização de riscos. Atende com serviços, assessoria e suporte a produtores em todo o Brasil e histórico de atuação em países como Austrália, Paraguai e Colômbia. CEO e sócio-fundador da APagri Soluções Agronômicas.