Por que fazer análise do solo?

Minas Gerais quer triplicar área de plantio do algodão
3 de abril de 2017
Guia rápido sobre Análise de Solo
22 de agosto de 2017
Mostrar tudo

Dúvida de muitos produtores rurais, a análise de solo gera realmente muitas questões. O que analisar ? Quando fazer? Que informações ela traz? Por que investir nisso? Mas o engenheiro agrônomo e mestre em Solos e Nutrição de Plantas Ailton Manzi Gama, responsável pelo laboratório Ubersolo da APagri, traz um feixe de luz para os indecisos. Nessa entrevista, ele explica um pouco sobre os fundamentos básicos da análise de solo e sua importância para o gerenciamento da fertilidade.

O que é uma análise de solo?

AMG: A análise de solo é um instrumento básico e essencial para se iniciar um programa de fertilidade e nutrição de plantas. É o método mais utilizado para tentar prever as deficiências de nutrientes. Tornou-se a ferramenta de manejo mais eficiente de agrônomos, consultores e pesquisadores por fornecer informações que englobam desde o monitoramento da fertilidade

do solo até a estimativa das necessidades de fertilizantes e a avaliação do potencial dos impactos ambientais adversos.

Quais os benefícios?

AMG: A análise do solo permite um melhor conhecimento da variabilidade dos atributos químicos e físicos das propriedades agrícolas. A adoção desta técnica permite melhorar a eficiência da agropecuária moderna, pois será responsável pelo levantamento das principais informações que serão utilizadas para tomada de decisão no programa de fertilidade de toda propriedade rural.

Por que fazer uma análise de solo?

AMG: A análise de solo geralmente é feita antes do plantio das culturas, sejam anuais ou perenes. Através desta técnica é possível:

• Identificar os fatores limitantes de rendimento de cada propriedade, especificamente a falta de nutrientes no solo;

• Indicar a capacidade de fornecimento de nutrientes do solo, servindo de ponto de partida para uso de recomendação de fertilizantes e calcários;

• Desenvolver planos de manejo de nutrientes quando combinada com informações de produção, tais como histórico de cultivo, mapas de inspeção de solo ou mapas de produtividade;

• Monitorar a fertilidade do solo e as tendências a longo prazo, de forma que os programas de manejo de nutrientes possam ser ajustados para atender as metas de manejo;

• Gerenciar riscos, determinando onde podem ocorrer as maiores respostas aos nutrientes.

Como escolher quais atributos analisar para obter um bom diagnóstico da fazenda?

AMG: Essa resposta está diretamente relacionada ao sistema de cultivo agrícola e tipo de cultura que será implantado na área. Culturas agrícolas com maior demanda por pacotes tecnológicos necessitam de informações mais detalhadas. Neste caso sugere-se identificar o máximo de informações químicas (macro e micronutrientes), o que geralmente é descrito como análise química completa. Ao passo que em um sistema de cultivo com menor exigência tecnológica, como por exemplo, na implantação de pastagens, pode se optar por identificar apenas informações dos macronutrientes, o que pode ser chamado como análise química básica de rotina. É importante lembrar a importância de sempre procurar um profissional ou consultor agrícola capacitado para orientações técnicas.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *