Rascunho automático

Temer anuncia R$ 12 bi para pré-custeio da safra agrícola em Ribeirão Preto
20 de janeiro de 2017
Pequenos produtores de Mato Grosso do Sul apostam no algodão colorido
27 de janeiro de 2017
Mostrar tudo

Entidades do setor de soja fecharam acordo com a indústria europeia de plano de ação integrado para produção e comércio de soja sustentável. Segundo informou a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), a entidade, juntamente com a Aprosoja e com organizações que representam a indústria da Europa – Fediol, Fefac e IDH – assinaram memorando de entendimento para apoiar e ampliar a produção de soja sustentável no Brasil e sua promoção no mercado europeu.

“É a primeira vez que um relacionamento de trabalho é formalizado entre a cadeia da soja brasileira e importantes compradores europeus, compartilhando uma visão mútua e um plano de ação que promove a produção de soja sustentável no Brasil e seu consumo na Europa”, afirmou a Abiove, em nota.

O acordo apoia vários objetivos do Código Florestal Brasileiro, destacando-se o de preservação de habitats naturais, por meio de práticas agrícolas sustentáveis em fazendas de soja.

Em nota, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Endrigo Dalcin, afirma que, com a assinatura do memorando, o Programa Soja Plus passa a ser reconhecido com um programa de produção sustentável, servindo como passaporte da soja brasileira para o mercado europeu.

Criado em 2011, o programa Soja Plus leva orientação aos agricultores para que adequem suas propriedades rurais às exigências da legislação ambiental, fundiária e trabalhista.

O presidente da Fediol- associação industrial da Europa de óleo vegetal e farelo proteico -, Henri Rieux, acredita que o acordo possibilitará atender melhor às necessidades das partes interessadas na Europa.

“Com este acordo, podemos apoiar proativamente avanços de agricultura sustentável no nível das fazendas de soja no Brasil e nos aproximar mais de uma transição de mercado convencional do fornecimento físico responsável de soja para a Europa”, destaca Ruud Tijssens, presidente da Federação Europeia de Fabricantes de Ração (Fefac).

Por: Kauanna Navarro

Fonte: Valor Econômico

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *