Novo mapa 3D mundial disponível – modelo de elevação global TanDEM-X

Clima favorece o plantio da safra de grãos 2016/2017 no Paraná
6 de outubro de 2016
La Niña: meteorologistas acreditam que o fenômeno ainda pode acontecer
11 de outubro de 2016
Mostrar tudo

O modelo de elevação mundial foi criado como parte da missão satélite TanDEM-X, que oferece uma precisão sem precedentes comparado com outros conjuntos de dados globais e é baseado numa base de dados uniforme. Os cerca de 150 milhões de quilômetros quadrados de superfície terrestre foram digitalizados a partir do espaço por meio de sensores de radar.

“O TanDEM-X, abriu um novo capítulo na área de sensoriamento remoto. O uso da tecnologia de radar baseada em dois satélites, que orbitam em formação cerrada, ainda é único e foi fundamental para o remapeamento de alta precisão da Terra. Desta forma, o DLR tem demonstrado o seu papel pioneiro e satisfez os pré-requisitos para o próximo passo no desenvolvimento da observação da Terra por satélite – a missão Tandem-L radar “, disse Pascale Ehrenfreund, Presidente do Conselho de Administração do Centro Aeroespacial Alemão (Deutsches Zentrum für Luft – und Raumfahrt; DLR).

Após a campanha de aquisição global abrangente e o esforço de processamento subsequente, os dados WorldDEM agora estão disponíveis para todo o mundo, incluindo a Antártida e regiões do Ártico, bem como ilhas do Pacífico. Assim, o WorldDEM é o primeiro conjunto de dados de elevação verdadeiramente global que cobre regiões além de 60 ° Norte e Sul, sem quaisquer áreas ausentes, mesmo na faixa equatorial fortemente nublada.

Empresas e instituições comerciais estão usando o conjunto de dados para aplicações tais como planejamento e implementação de projetos de engenharia civil, exploração de recursos naturais em áreas remotas, ou estudos ambientais. Outra principal beneficiária deste conjunto de dados global é o setor da aviação, para o qual a WorldDEM fornece informações mais precisas do terreno, melhorando assim os sistemas anticolisão, de aviso de proximidade do solo e sistemas de gestão de voo.

 

Fonte: Por Ariane Barbosa / mundogeo.com

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *